Mococa é um município brasileiro do estado de São Paulo, faz parte da Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP), sendo uma das subsedes metropolitanas. Localiza-se a uma latitude 21º28'04" sul e a uma longitude 47º00'17" oeste, estando a uma altitude de 645 metros. A cidade de Mococa localiza-se no nordeste do Estado de São Paulo, distante 113 km de Ribeirão Preto a maior cidade da região. Sua população estimada em 2014 era de 68.695 habitantes. O município é constituído também por dois distritos: Igaraí e São Benedito das Areias.

História

Tudo começou na primeira metade do século XIX, quando os entrantes Mineiros, sabendo da alta fertilidade que o solo da região proporcionaria, iniciaram o desbravamento da mata virgem e deram inicio as primeiras ocupações.
Mococa teve, como um de seus fundadores, Gabriel Garcia de Figueiredo, o Barão de Monte Santo e Venerando Ribeiro da Silva. No cerne do período imperial, o povoado, até então conhecido como São Sebastião da Boa Vista, em meados da década de 1840, Em 1841, o povoado se elevou a condição de Capela Curada, alguns anos depois, foi implantada a primeira lavoura de café, vindo a gerar cidades e citadinos. A mão de obra era de escravos trazidos da África.
A primeira igreja de Mococa, posteriormente conhecida como ''Matriz Velha'', foi construída em 1846, dedicada a São Sebastião, o padroeiro da cidade. Perdendo sua importância desde o fim do século XIX, com a inauguração da ''Matriz Nova'', em 1896, a igreja foi demolida em 1919, dada suas precárias condições, sendo re-construída em 1921, pela iniciativa de Francisco Figueiredo, um rico fazendeiro. Tendo sua arquitetura projetada pelo renomado arquiteto Gherardo Bozzani, em 1921.
Passou, em 1857, a ser considerado uma freguesia. Em 1871, passou à condição de vila e somente em 1875 veio a ser considerada cidade oficialmente. Após 1888, data da abolição da escravatura, fez-se necessária a substituição da mão de obra escrava. A cidade passou, então, a receber uma massa de imigrantes, em sua esmagadora maioria de Italianos (cerca de 9 000) e, em menor escala, de alemães, austríacos, espanhóis, portugueses e libaneses.
A partir da década de 1890, Mococa passou pelo seu período mais áureo, onde o café pôde proporcionar grandes avanços para a cidade, como por exemplo: a construção da Matriz Nova, a igreja de São Sebastião.
Como resultado, houve uma fusão cultural e cosmopolita em pleno "sertão do pardo", período este conhecido como a "belle époque caipira", qualificando Mococa como uma das cidades produtoras do melhor café do Brasil. A florada civilizadora do café tornou os cafeicultores da cidade parte da elite social brasileira. Porém, entre 1914 e 1918, período da Primeira Guerra Mundial, ocorreu a desorganização do comércio internacional, desestruturando a economia cafeeira devido à retração dos mercados consumidores.
A partir desse período, os fazendeiros passaram investir na criação de gado de leite. Em 1932, a cidade passou a ser um dos fronts da Revolução constitucionalista no conflito entre mineiros e paulistas.
Em 1959, foi inaugurado o Cine Mococa, um dos mais tradicionais e memoráveis cinemas da região, mantendo sua arquitetura de época intacta. Três anos mais tarde, em 1963, Mococa recebeu a presença do presidente da república, João Goulart, onde inaugurou o Mercado Municipal, o conhecido 'Mercadão'.
Durante os anos de chumbo, houveram alguns casos onde a Ditadura operou, como na prisão de Milton Gagliardi, militante comunista da época, onde fora transferido para Cajuru. Solto algum tempo depois.
Revelante também é a presença de Carlos Lamarca (capitão do Exército na época, conhecido por desertar o mesmo e se juntar a luta armada), em 1967, no Tiro de Guerra 02-022, para realizar uma das muitas inspeções técnicas que o TG passava. Sendo que nesta época, seus ideais revolucionários já começavam a se manifestar.
Na década de 1980, especificamente em 1983, um dos filhos mais ilustres de Mococa retornava a sua terra natal após muitas décadas de ausência: Bruno Giorgi.
Este renomado escultor deixou em sua cidade duas obras importantíssimas: ''A Mulher de Mococa'', na praça Marechal Deodoro e ''Os Fundadores'' na praça Epitácio Pessoa, ambas localizadas no centro da cidade.

Etimologia

O nome da cidade se origina da língua tupi e significa "casa de mocó", a partir da junção dos termos mokó ("mocó") e oka ("casa").

Turismo

Mococa possui três segmentos principais de Turismo:

  • Turismo Rural
  • Turismo Ecológico
  • Turismo Cultural

Tendo, como atrações turísticas na área cultural: o centro histórico, diversas igrejas, museus, casa de cultura e o Cine Mococa. O turismo rural e de eventos também merece destaque, podendo serem exemplificados o Troféu Chico Piscina e Kim Mollo (ambos de natação) a Semana Universitária Mocoquense e a Feira da Mata, na praça do Campo do Radium, com produtos Orgânicos, Caseiros e Artesanais, produzidos artesanalmente em Mococa.
Contando também com dezenas de Fazendas Históricas, preservando a arquitetura e memória dos barões do café, fundadores da cidade.
A Caminhada da Fé de Santa Rita, evento de ocorrência anual, vem atraindo milhares de pessoas da cidade e de toda a região para expressarem sua fé e devoção a santa, consolidando-se como um bom exemplo de Turismo Religioso.
No Turismo Ecológico, podemos destacar o Parque São Sebastião, com trilhas pedagógicas e minas d'água. E a Cachoeira do Itambé, com 84 metros de altura, localizada na divisa de Mococa e Cássia dos Coqueiros.

Acesso

O município está ligado à rodovia Ademar de Barros (SP-340), uma das principais do estado, com pista duplicada, ligando Mococa a Campinas. É considerada a quinta melhor rodovia do Brasil, segundo o Guia Quatro Rodas.

Demografia

População Total: 68.695

  • Urbana: 99%
  • Rural: 1%
  • Homens: 40%
  • Mulheres: 60%
Cor/RaçaPercentagem
Branca85,0%
Negra2,1%
Parda12,7%
Amarela0,2%